sábado, 6 de dezembro de 2008

Imensurabilidade universal


Partilhamos sentimentos, emoções
Amores renascestes e ancestrais
Rasgos de afagos ardentes
Assim … espontaneamente

Tocas-me em desvelos de ternura
Imensurabilidade universal

Buscas o cerne em ti, em mim
Engrandecida pela pulcritude
Intemporalidade efémera de nós
Juntam-se palavras carentes
Obramos a amizade transcendente

Aqueço-me no soalheiro do teu sol
Zarpo no azul desse teu mar
Unto-me de doce maresia
Libertando devaneios de mim, de nós

6 comentários:

VÓNY FERREIRA disse...

Já tinha lido este poema mas aproveito esta oportunidade em que te vim espreitar para te falar da beleza incomensurável do mesmo.
Um abraço. Liliana
Vóny Ferreira

Haere Mai disse...

Ler-te è uma sensação inigualável. A forma como escreves ímpar. O teu poema uma honra e um privilégio.

Aqueço-me no soalheiro do teu sol
Zarpo no azul desse teu mar
Unto-me de doce maresia
Libertando devaneios de mim, de nós

destaco estes versos onde realça a palavra azul...o meu!

Que este Sol nunca deixe de aquecer esta amizade e que permaneça para sempre!

Beijo azul...Sempre!

Rituais Sem Nome disse...

És sempre unica pela forma como falas de sentimentos, emoções...


Beijos
Dolores

Márcio Almeida Júnior disse...

Liliana,
Parabéns pelo blog. Ele é belo e sensível. Continue em frente

CelyLua - O blog das Letras disse...

Nobre poeta Liliana,
Conhecer teu belíssimo blog é realmente uma doce alegria pra meus olhos e meu coração poético,rs,rs.
Este poema é encantador...ler você é sentir na alma a essência que certamente habita em teu coração.
Parabéns e aplauso! Deus te abençoe..
Desejo um “FELIZ NATAL E PRÓSPERO ANO NOVO!”
Bjss poéticos,rs,rs...voltarei mais vezes...
Pra você minha reverencia
Carinhosamente,

Cely Cavalcanti

blue violin disse...

Maravilhoso poema poetisa!Um verdadeiro hino á amizade!
Tudo de bom para ti em musicas de mar, tocadas em azul.

Blue violin