sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Acordo num sonho teu


Adormeço num sonho meu
Expando as minhas asas diáfanas
Aconchego-te num sonho teu
Injecto o doce licor do prazer em ti
Prova-me na existência do que sou

Não temas a sofreguidão da minha luz

Vem….encosta-te a mim
nesta amência que transcende o irreal
liberta-te desse torpor que te sufoca
desliza comigo no cosmos da vida
neste sonho de cascatas incandescentes
de nebulosas por ti renascentes
explodindo na imensidão do universo
do que somos, simples mortais

Não vês a efemeridade da vida?

Saboreia o prazer na amizade de mim
como um afago de gozo celestial
deste anjo que se transmuta por ti
consciente da perpetuidade do nós
no mais límpido querer transcendental

Vem…. Porquê hesitas?
não vês que sou o teu anjo
de que tens medo doce mortal?

3 comentários:

Novo Olhar disse...

Encosto-me sempre à luz que emanas.
Adoças a minha alma, sempre que entras nos meus sonhos.
Serás sempre uma pessoa especial

Lindo poema Lili.

Haere Mai disse...

"Vem…. Porquê hesitas?
não vês que sou o teu anjo
de que tens medo doce mortal?"

Aqui estou! Como resistir a tão doce apelo?

"Saboreia o prazer na amizade de mim
como um afago de gozo celestial
deste anjo que se transmuta por ti
consciente da perpetuidade do nós
no mais límpido querer transcendental"


Navego no Cosmos á procura do somente aqui posso encontrar... Sempre?

Beijo azul...Sempre!

elisabete fialho disse...

Eu estou sempre aqui
Com teus medos eu combato
Às tuas duvidas eu respondo
Minha missão é ajudar-t
Tu só tens que chamar por mim
E se choras eu contigo eu sofro
Por isso amigo mortal, sorri
Para que eu esteja feliz
E para que assim eu levar-te comigo a voar
Abraço repulhodo