quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Como uma rosa Azul



Queria ser como a rosa azul
Viver meramente um dia
Ser a tua primavera, o teu Verão
O teu Outono, o teu Inverno
Sentir a fragrância da tua pele,
Tuas mãos docemente no meu rosto
Com a macieza das pétalas azuis.
Sentir o prazer de ser especial
Somente um dia, que importa
Como a rosa azul

Afogar a saudade no sabor do teu odor
Saciar o sonho perdido num olhar ardente
Mergulhar na limpidez orvalhada
Que afaga as tuas pétalas imortais
Diluir – me na imensurabilidade de ti
Um dia, uma vida, uma eternidade.
Morrer e renascer como a rosa azul

1 comentário:

Haere Mai disse...

A minha canção,numa interpretação soberba! As tuas palavras num momento de inspiração sublime! Só uma grande poetisa!
Beijo azul para ti e a minha admiração eterna!