sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

...nas mãos esbeltas d`um louco amor errante

A manha enlouquece nas mãos esbeltas
d`um louco amor errante cativo do tempo
e as pétalas nos corpos brancos resvalam-se
despindo-os sôfregas numa volúpia quente

São horas de despudorados aconchegos mil
nas bocas salivantes gemendo momentos,
e os asteriscos saltitantes, perdem-se nús
nos olhos chamejantes de aromas, do rosto teu

A voz embarga-se num rouco vagir, ciciado
nos lençóis cobertos dum querer escarlate
e as horas inundam pueris os corpos desnudos
num precipício alucinante da doce palavra “céu”

Escrito 12/12/12

4 comentários:

rosa-branca disse...

Amiga, passei para lhe desejar um Feliz Ano Novo com muita saúde, paz e muito amor. Beijos com carinho

Ricardo Castro Alves disse...

Boa Noite Liliana,

Antes de mais nada feliz ano novo.

Encontrei-a no facebook e adorei a sua poesia, mas gostei muito mais quando descobri que é Madeirense, eu também. Deixie um convite no seu facebook, se achar por bem aceite. Também escrevo poesia e teria todo o gosto em partilha-la consigo. Só tenho ppena de não vivver aí...

Cumprimentos

Ricardo Castro Alves

Nilson Barcelli disse...

Fazes excelente poesia.
É pena não publicares com maior regularidade...
Beijo.

António disse...

Entrei neste "porto" de poesia, reconfortei-me em todas as palavras.

Parabéns pela beleza dos poemas!

Bj António