quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Infecunda liberdade
















A vida pariu o destino
abandonou-o meigamente
na janela aberta do SER
tatuando com lágrimas e risos
a brochura da alma
aprisionando-a
na liberdade de ser

Mas o SER
bastardo engravidou
de infecunda liberdade

A terra escureceu
E a vida tornou-se sombra

1 comentário:

Sonhadora disse...

Adorei o poema.


A terra escureceu
E a vida tornou-se sombra

Dizem tanto estas palavras.

Beijinhos
sonhadora